O Pilates faz com que você se sinta melhor, dia após dia!

1785
Ele proporciona o alongamento e a fortalecimento do corpo de forma integrada e individualizada, além de melhorar a respiração, diminuir o stress, desenvolver consciência e equilíbrio corporal, melhorar a coordenação motora, a mobilidade articular e proporcionar relaxamento.

 

A Levita oferece atendimento individualizado ou, no máximo, em duplas, em ambiente amplo e climatizado, com Fisioterapeutas especializados. Agende sua aula experimental para avaliação dos seus objetivos e necessidades, conhecer o ambiente e os profissionais.

Perguntas e respostas frequentes sobre o Pilates:

Um dos objetivos mais importantes do Pilates é o realinhamento postural. Os exercícios, somados ao ganho de força e flexibilidade adquiridas com a prática, implicam diretamente na aquisição de uma boa postura. Muitas vezes as dores no corpo são consequência da postura inadequada e melhoram e até mesmo desaparecem com a prática de Pilates.
Um dos objetivos mais importantes do Pilates é o realinhamento postural. Os exercícios, somados ao ganho de força e flexibilidade adquiridas com a prática, implicam diretamente na aquisição de uma boa postura. Muitas vezes as dores no corpo são consequência da postura inadequada e melhoram e até mesmo desaparecem com a prática de Pilates.
No início, as aulas de Pilates eram ministradas por bailarinos que tinham aulas com o “pai” do Pilates, Joseph Pilates, para tratar de lesões causadas pela profissão. Devido à consciência corporal, os bailarinos transmitiam o método com grande beleza e fluidez que o método exige. No Brasil, o método foi adotado por fisioterapeutas e profissionais de educação física, pois o Pilates começou a ser ministrado em academias, clínicas, estúdios, centros de reabilitação onde é exigido um dos dois profissionais.  Esses profissionais têm conhecimento e capacitação para passar corretamente os exercícios.
Por ser uma atividade física, o Pilates proporciona perda calórica. Porém, não é esse o seu principal objetivo. O Pilates deve ser praticado por quem busca uma vida saudável, com boa postura, músculos flexíveis, corpo bem definido, melhorar a circulação sanguínea,  respiração, concentração e o equilíbrio.
Sim, é possível fazer aulas de Pilates tendo hérnia de disco seja na fase aguda, subaguda ou crônica desde que haja orientação de um profissional qualificado. Na fase inicial da doença, ele é geralmente associado a outras técnicas fisioterapêuticas, Na fase subaguda são feitos exercícios com a coluna lombar apoiada no chão ou nos aparelhos, como o reformer e o cadillac, e, progressivamente, incluem-se os exercícios evitando as rotações de tronco. Já na fase crônica, o método Pilates é de grande importância para tratar as compensações, os encurtamentos musculares, as hipomobilidades, trabalhar a postura e o equilíbrio.
O Pilates, ao contrário da musculação, não trabalha somente com pesos. As resistências são impostas também por molas ou o peso do próprio corpo. Outra diferença é que na musculação os movimentos e os exercícios são mais rápidos que no Pilates, que trabalha ainda com poucas repetições, controle dos movimentos e contração abdominal em todos os exercícios. Por isso, há tonificação muscular, mas sem grandes hipertrofias como acontece na musculação.
O Pilates trabalha corpo e mente, com ênfase na respiração e consciência corporal, promovendo assim, o bem estar físico e mental.
É bastante recomendável, pois não só melhora o desempenho do atleta como ajuda a prevenir acidentes. Se o atleta já possui lesões, ele também pode praticar Pilates, que torna a recuperação mais rápida e fácil.
A prática de duas a três vezes por semana é considerada ideal para sentir rapidamente os resultados. Mas, geralmente a freqüência é adaptada conforme os objetivos de cada pessoa.
Há um trabalho em conjunto com o médico gestantes, idosos e pessoas cardíacas a fim de evitar qualquer incidente. Assim, os exercícios de Pilates não são contra-indicados a esses grupo, apenas é necessária uma autorização do médico para as atividades.